Os tipos de sociedade previstos na lei portuguesa mais utilizados são a sociedade de responsabilidade limitada (Lda) e a sociedade anónima (S.A.). Por sua vez, existem outras duas formas de representação jurídica muito utilizadas para operar em Portugal e no âmbito institucional do CINM, sendo elas a sucursal e a S.G.P.S. (Sociedade Gestora de Participações Sociais).

Assim sendo:

Sociedade Limitada (Lda): Deve ter pelo menos um sócio e um capital mínimo de um euro por sócio. É necessário a nomeação de um gerente que, tem todos os poderes previstos por lei para exercer actos de gestão tendo em vista o objecto da empresa;
Sociedade Anónima (S.A.): Pode também ser constituída com um accionista apenas e um capital mínimo de 50.000,00 Euros. A gestão deste tipo de sociedade é garantida por um conselho de administração. Poderá existir apenas um administrador se o capital social não ultrapassar os 200 mil euros;
Sucursais: Não têm requisitos de capital mínimo;
SGPS (sociedades holding puras): Poderão adoptar a forma legal de uma S.A ou Lda, o seu objecto social deverá ser, unicamente, a gestão de participações sociais de outras empresas, embora possam prestar serviços de gestão e administração das respectivas participadas, ou em certos casos, conceder crédito às suas participadas.